OS PROFISSIONAIS

RICARDO YAMASAKI  |  História

O ideal da advocacia, para Ricardo, vem da infância, com interesses nas representações de alunos e nos discursos estudantis. Ingressou na Faculdade de Direito, em 1997, atuando em políticas estudantis, tendo conjuntamente estagiado nas principais carreiras jurídicas.

Em 1998, iniciou sua trajetória, como voluntário, do Cartório do Juizado Especial Cível do Fórum do Ipiranga, onde orientava o público e redigia pedidos iniciais dos cidadãos. No mesmo ano foi incumbido de orientar os novos estagiários e a coordenar os demais.

A elaboração de elogiosas iniciais culminaram com o convite da então Juíza de Direito, Ana Luisa Liarte para que prestasse o relevante serviço público de Conciliador do Juizado Especial Cível do Ipiranga, honrosa função, que desempenhou sendo o único estudante entre os demais Conciliadores, todos advogados.

Logo veio o convite, da mesma Magistrada, para que fizesse os relatórios de suas sentenças e alguns meses depois o rascunho de suas decisões.

No final de 1998 assume o Juizado Especial Cível, o Juiz de Direito, José Thales Sena Rebouças, que o mantém, como o único estudante, nas conciliações e também no Cartório. Nesta época já conduzia as audiências e ditava os termos de acordo das sessões de conciliação.

Em 1999, buscando novos ares e novas experiências, ingressa no Ministério Público, na Promotoria de Justiça dos Registros Públicos, com a Doutora Lilian Cristina Marques da Costa Pazzini. Com ela aprende, muito e passa a desenvolver as primeiras grandes pesquisas e manifestações. Nesta Promotoria, acompanha ações de mudança de registro civil e ações de usucapião.

No mesmo ano, com a mudança da Doutora Lilian, passa a estagiar na Promotoria de Justiça Cível. Por conta da maior amplitude dos assuntos, as horas de estágio passam a ser poucas e as horas pós expediente passam a ser freqüentes, assim como, o trabalho durante as férias estudantis. Foram diversos os casos, a grande maioria emblemáticos, como a queda do avião da TAM e a explosão do Shopping de Osasco.

Nas férias e licenças da Doutora Lilian, por convite ou por vontade própria passa a estagiar com outros Promotores de Justiça, como o Doutor André Carlos Marcassa e com a filha do Ex-Ministro do Supremo Tribunal Federal, Sidnei Sanches, Doutora Luciana Sanches Endo.

Nos períodos de folga, passa a estagiar na Promotoria de Falências, com a Promotora Rosana Calnin Pires Bruno e a auxiliar a Doutora Lilian nos processos criminais que eram a ela, remetidos, em época de mutirão.

Em 2000, ainda estagiando no Ministério Público, passa a freqüentar, durante os finais de semana, a Delegacia de Polícia do Jardim Miriam, para conhecer a sua dinâmica e o seu funcionamento.

No final de 2001, recebe o convite do renomado advogado criminalista, Mário de Oliveira Filho, para em seu escritório estagiar. No primeiro dia recebe a missão de auxiliar uma equipe num caso grande, de um cliente importante. A boa atuação lhe rende, ainda estagiário, a missão de cuidar das áreas de atendimento a médicos e a área cível.

Em 2002, em seu primeiro exame, obtém a Carteira da Ordem e assume o departamento de ações contra médicos e também a área cível, com enfoque em responsabilidade civil. Além disso, passa a viajar pelo Brasil, por conta da CPI dos Combustíveis.

No primeiro ano com a carteira profissional, passa a fazer audiências, atendimento a clientes grandes e sustentações orais, inclusive em Brasília.

Neste grandioso escritório sob a orientação do mestre Mário de Oliveira Filho passa a também receber conselhos, dicas e orientações de outros grandes profissionais, como: os criminalistas Mauro Otávio Nacif (eleito o melhor advogado criminalista do ano de 1983), Mário Sérgio de Oliveira, Celso Sanches Vilardi e Mário de Oliveira; do civilista, Ricardo Gregório Algarve; do Tributarista, Joel de Freitas; e do advogado trabalhista, antigo juiz do TRT, Hamilton Proto.

Neste período passou a atuar no órgão de classe atuando em um grupo de trabalho chefiado pela Secretária Adjunta da Ordem dos Advogados do Brasil, Doutora Eunice Aparecida de Jesus Prudente. A este grupo cabia promover ações em defesa de advogados que de alguma forma haviam sido injustiçados, perante o Tribunal de Ética. No Tribunal de Ética passou a auxiliar com pesquisas os relatores do TED II (Tribunal de Ética e Disciplina).

Por conta das atuações junto a Ordem, o primeiro convite para uma palestra surge no momento em que o Novo Código Civil se apresentava. Num auditório para mil pessoas, com capacidade máxima preenchida inicia a vida de palestrante, ao lado de profissionais como o Doutor Carlos Dabbus Maluf, a Doutora Silmara Juny Chinellato, o Doutor Antonio Carlos Morato, entre outros, para falar sobre aspectos práticos da advocacia.

No fim de 2003 se forma administrador de Escritórios de Advocacia, pela Escola Superior de Advocacia da Ordem dos Advogados do Brasil.

No ano de 2004, já a frente de seu escritório, recebe o convite de escrever uma apostila, organizar e ministrar aulas no Curso de Direito da Criança e do Adolescente, na Escola Superior de Advocacia, da OAB, juntamente com os advogados Denise Auad e Luiz Guilherme Mendes de Paiva, tendo como convidados, o juiz Fermino Magnani (hoje Desembargador), o Promotor de Justiça, Francismar Lamenza e o advogado e professor Frederico Dolabella. O curso se repete no segundo semestre de 2004 e no ano de 2005, agora, sem o Doutor Luiz Guilherme Mendes de Paiva.

Em 2005, participa da lista tríplice para concorrer à Diretoria Executiva da Fundação PROCON de São Paulo, com a escolhida Doutora Eunice Prudente e o Doutor Paulo Arthur Góes.

No início de 2006, recebe o convite para assessorar a Diretoria Executiva da Fundação PROCON de São Paulo e passa a realizar pesquisas, manifestações e a representar a Fundação em reuniões e eventos.

No meio do mesmo ano vem o convite para assessorar o gabinete da empossada Secretária de Estado da Justiça e da Defesa da Cidadania, do Governo Claudio Lembo, Doutora Eunice Prudente. Passa a desenvolver atividades de direitos humanos, em específico com crianças e adolescentes.

Em 2007, com a troca de Governo, o novo Secretário de Estado da Justiça e da Defesa da Cidadania, do Governo José Serra, Luiz Antonio Guimarães Marrey, o mantém em sua equipe.

Em 2008, com a saída do Doutor Marco Aurélio Chagas Martorelli, chefe da assessoria, recebe o convite do Secretário Marrey, para assumir o seu lugar tornando-se Dirigente da Assessoria de Defesa da Cidadania.

 

Voltar

Todos os direitos reservado à Augusto Yamasaki Advogados

OS PROFISSIONAIS

RICARDO YAMASAKI  |  História

O ideal da advocacia, para Ricardo, vem da infância, com interesses nas representações de alunos e nos discursos estudantis. Ingressou na Faculdade de Direito, em 1997, atuando em políticas estudantis, tendo conjuntamente estagiado nas principais carreiras jurídicas.

Em 1998, iniciou sua trajetória, como voluntário, do Cartório do Juizado Especial Cível do Fórum do Ipiranga, onde orientava o público e redigia pedidos iniciais dos cidadãos. No mesmo ano foi incumbido de orientar os novos estagiários e a coordenar os demais.

A elaboração de elogiosas iniciais culminaram com o convite da então Juíza de Direito, Ana Luisa Liarte para que prestasse o relevante serviço público de Conciliador do Juizado Especial Cível do Ipiranga, honrosa função, que desempenhou sendo o único estudante entre os demais Conciliadores, todos advogados.

Logo veio o convite, da mesma Magistrada, para que fizesse os relatórios de suas sentenças e alguns meses depois o rascunho de suas decisões.

No final de 1998 assume o Juizado Especial Cível, o Juiz de Direito, José Thales Sena Rebouças, que o mantém, como o único estudante, nas conciliações e também no Cartório. Nesta época já conduzia as audiências e ditava os termos de acordo das sessões de conciliação.

Em 1999, buscando novos ares e novas experiências, ingressa no Ministério Público, na Promotoria de Justiça dos Registros Públicos, com a Doutora Lilian Cristina Marques da Costa Pazzini. Com ela aprende, muito e passa a desenvolver as primeiras grandes pesquisas e manifestações. Nesta Promotoria, acompanha ações de mudança de registro civil e ações de usucapião.

No mesmo ano, com a mudança da Doutora Lilian, passa a estagiar na Promotoria de Justiça Cível. Por conta da maior amplitude dos assuntos, as horas de estágio passam a ser poucas e as horas pós expediente passam a ser freqüentes, assim como, o trabalho durante as férias estudantis. Foram diversos os casos, a grande maioria emblemáticos, como a queda do avião da TAM e a explosão do Shopping de Osasco.

Nas férias e licenças da Doutora Lilian, por convite ou por vontade própria passa a estagiar com outros Promotores de Justiça, como o Doutor André Carlos Marcassa e com a filha do Ex-Ministro do Supremo Tribunal Federal, Sidnei Sanches, Doutora Luciana Sanches Endo.

Nos períodos de folga, passa a estagiar na Promotoria de Falências, com a Promotora Rosana Calnin Pires Bruno e a auxiliar a Doutora Lilian nos processos criminais que eram a ela, remetidos, em época de mutirão.

Em 2000, ainda estagiando no Ministério Público, passa a freqüentar, durante os finais de semana, a Delegacia de Polícia do Jardim Miriam, para conhecer a sua dinâmica e o seu funcionamento.

No final de 2001, recebe o convite do renomado advogado criminalista, Mário de Oliveira Filho, para em seu escritório estagiar. No primeiro dia recebe a missão de auxiliar uma equipe num caso grande, de um cliente importante. A boa atuação lhe rende, ainda estagiário, a missão de cuidar das áreas de atendimento a médicos e a área cível.

Em 2002, em seu primeiro exame, obtém a Carteira da Ordem e assume o departamento de ações contra médicos e também a área cível, com enfoque em responsabilidade civil. Além disso, passa a viajar pelo Brasil, por conta da CPI dos Combustíveis.

No primeiro ano com a carteira profissional, passa a fazer audiências, atendimento a clientes grandes e sustentações orais, inclusive em Brasília.

Neste grandioso escritório sob a orientação do mestre Mário de Oliveira Filho passa a também receber conselhos, dicas e orientações de outros grandes profissionais, como: os criminalistas Mauro Otávio Nacif (eleito o melhor advogado criminalista do ano de 1983), Mário Sérgio de Oliveira, Celso Sanches Vilardi e Mário de Oliveira; do civilista, Ricardo Gregório Algarve; do Tributarista, Joel de Freitas; e do advogado trabalhista, antigo juiz do TRT, Hamilton Proto.

Neste período passou a atuar no órgão de classe atuando em um grupo de trabalho chefiado pela Secretária Adjunta da Ordem dos Advogados do Brasil, Doutora Eunice Aparecida de Jesus Prudente. A este grupo cabia promover ações em defesa de advogados que de alguma forma haviam sido injustiçados, perante o Tribunal de Ética. No Tribunal de Ética passou a auxiliar com pesquisas os relatores do TED II (Tribunal de Ética e Disciplina).

Por conta das atuações junto a Ordem, o primeiro convite para uma palestra surge no momento em que o Novo Código Civil se apresentava. Num auditório para mil pessoas, com capacidade máxima preenchida inicia a vida de palestrante, ao lado de profissionais como o Doutor Carlos Dabbus Maluf, a Doutora Silmara Juny Chinellato, o Doutor Antonio Carlos Morato, entre outros, para falar sobre aspectos práticos da advocacia.

No fim de 2003 se forma administrador de Escritórios de Advocacia, pela Escola Superior de Advocacia da Ordem dos Advogados do Brasil.

No ano de 2004, já a frente de seu escritório, recebe o convite de escrever uma apostila, organizar e ministrar aulas no Curso de Direito da Criança e do Adolescente, na Escola Superior de Advocacia, da OAB, juntamente com os advogados Denise Auad e Luiz Guilherme Mendes de Paiva, tendo como convidados, o juiz Fermino Magnani (hoje Desembargador), o Promotor de Justiça, Francismar Lamenza e o advogado e professor Frederico Dolabella. O curso se repete no segundo semestre de 2004 e no ano de 2005, agora, sem o Doutor Luiz Guilherme Mendes de Paiva.

Em 2005, participa da lista tríplice para concorrer à Diretoria Executiva da Fundação PROCON de São Paulo, com a escolhida Doutora Eunice Prudente e o Doutor Paulo Arthur Góes.

No início de 2006, recebe o convite para assessorar a Diretoria Executiva da Fundação PROCON de São Paulo e passa a realizar pesquisas, manifestações e a representar a Fundação em reuniões e eventos.

No meio do mesmo ano vem o convite para assessorar o gabinete da empossada Secretária de Estado da Justiça e da Defesa da Cidadania, do Governo Claudio Lembo, Doutora Eunice Prudente. Passa a desenvolver atividades de direitos humanos, em específico com crianças e adolescentes.

Em 2007, com a troca de Governo, o novo Secretário de Estado da Justiça e da Defesa da Cidadania, do Governo José Serra, Luiz Antonio Guimarães Marrey, o mantém em sua equipe.

Em 2008, com a saída do Doutor Marco Aurélio Chagas Martorelli, chefe da assessoria, recebe o convite do Secretário Marrey, para assumir o seu lugar tornando-se Dirigente da Assessoria de Defesa da Cidadania.

 

Voltar